COORDENAÇÃO DO CPP E COORDENAÇÕES DAS PASTORAIS E MOVIMENTOS
Conselho Paroquial de Pastoral – CPP

Regimento
Capítulo I – Da natureza e da constituição

  • Art. 1º – o conselho paroquial de pastoral – cpp é o organismo representativo de toda a paróquia,constituída por comunidades eclesiais (matriz e “capelas”). É sinal e instrumento de comunhão eclesial, lugar de encontro e de convergência, de diálogo e de irradiação pastoral.
  • Art. 2º – o cpp será assim constituído:

1. o Pároco e os Vigários Paroquiais;
2. os Diáconos da paróquia;
3. o Coordenador e o Administrador Econômico de cada CPC;
4. um representante de cada instituto de vida consagrada;
5. o Coordenador de cada ministério;
6. o Coordenador de cada organismo de pastoral;
7. o coordenador de cada movimento, associação, organismo e/ ou serviço eclesial;
8. outros que forem escolhidos pelo cpp, de acordo com a necessidade.

  • Parágrafo Único – para melhor encaminhar as decisões, o mesmo representante de cada pastoral/movimento/serviço deve se fazer presente junto ao cpp, enquanto durar o seu mandato.
  • Art. 3º – o cpp terá uma equipe de coordenação, assim constituída:

1. Presidente;
2. Coordenador;
3. Vice-Coordenador;
4. 1º Secretário;
5. 2º Secretário;
6. Administrador econômico paroquial (Tesoureiro).

Capítulo II – Dos Objetivos

  • Art. 4º – o cpp terá como princípios norteadores de sua ação:

1. articular, coordenar e avaliar a ação pastoral na paróquia;
2. despertar, incentivar e formar novas lideranças;
3. descobrir e fazer acontecer novas modalidades de ação pastoral;
4. promover a ação pastoral de conjunto dentro da paróquia, em sintonia com a comarca e com a
Arquidiocese.

  • Art. 5º – propostas concretas da ação pastoral do cpp:

1. conscientizar, abrir espaço e organizar o envolvimento do maior número possível de fiéis na vida
pastoral das diferentes comunidades;
2. incentivar e apoiar os que se dispõem a exercer algum ministério específico;
3. cuidar para que em todas as comunidades se realizem celebrações vivas, participativas e criativas,
quer sejam celebrações eucarísticas ou outras;
4. dar ênfase especial às celebrações em honra dos padroeiros das diferentes comunidades;
5. zelar para que as promoções sociais nas comunidades, com o objetivo de angariar recursos
financeiros, sejam conduzidas com o espírito cristão;
6. refletir sobre a melhor maneira do uso de recursos materiais disponíveis, estudando e propondo
prioridades;
7. apreciar e aprovar os projetos referentes a construções, reformas, compras, vendas e outros;
8. fazer acontecer as prioridades pastorais, em espírito de comunhão e participação;
9. preparar, programar e coordenar as Assembleias Paroquiais de Pastoral;
10. elaborar um plano anual de atividades, levando em conta o que tiver sido aprovado na Assembleia Paroquial de Pastoral;
11. ser instância de auto-crítica, revisão e renovação.

X